25 de agosto de 2009

Cotidiano

.....Sempre ouvi falar que quanto mais idade, mais experiência se adquiri; posteriormente mais maturidade, sucesso, segurança, enfim, os objetivos antes traçados rumo a dita felicidade são alcançados. Logo, há mais punho para encarar as situações que nos são apresentadas no decorrer da vida, e assim quem sabe, o amadurecimento ajude a tirar as pedrinhas que surgem durante o caminho. E enfim, "felicidade completa".
.....Mas vejo o contrário de tudo isso. Vejo indivíduos realmente frágeis, tão frágeis que se contradizem. Eles são engraçados! Não importa a idade, quando o assunto é "escolha", eles acabam se mostrando inseguros e vulneráveis. Trinta, quarenta, cinquenta anos? Realização? Pode ser um blefe!
.....Muito tempo na internet, horas extras no trabalho, noites perdidas pra ganhar tempo, a armadilha do corpo feito, um mundo doido lá fora querendo mais do que se pode dar, mais do que podemos dar. Nos doamos demais, nos perdemos e perdemos a vida para o sistema.
Seria isso um problema da sociedade comtemporânea? Muito trabalho, muito estudo, muita correria e pouco/nada muitas outras coisas? Dentre elas a maturidade de andarmos com nossos próprios pés pra levarmos a vida como queremos? Talvez... Mas de fato uma pena! Vivemos em uma sociedade que exige tanto que acabamos esquecendo de nos impor.
.....Buscamos com enorme proporção o dito sucesso, renunciamos um mundo a nossa volta, e acabamos nos perdemos em meio esse planeta de informações. Até que o equilíbrio passa a não fazer mais parte de nós.
.....Hoje vejo a vida como uma linha ilusória, o real andamento das relações é outro. É como um labirinto, com um caminho estreito e fantasioso...
Pensamentos contrapõem com a realidade, de fato, ela nua e crua é muito dura. Perder pra se encontrar é necessário, se não, encarar tudo isso fica ainda mais árduo.
Abstrair é preciso!

Artigo: Janaína [Vulgo Nina]

7 comentários:

  1. nao tenho palavras para demonstrar o que senti nesse momento...
    meus parabens...
    nota 10

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito do seu artigo. A sua interpretação do real nos faz olhar para nossa própria vida. É uma aflição social e, infelizmente, inconciente.

    ResponderExcluir
  3. Realmente a sociedade nos consome, e faz de nós meros produtos descartáveis.

    Faz tempo que não visito seu espaço, tenho uma boa notícia pra vc, estou indo morar em BH.

    Quem sabe um dia poderemos conversar sobre literatura pessoalmente.

    Um beijo

    ResponderExcluir
  4. Oi, passei pra conhecer seu blog, e desejar bom fds
    bjss

    aguardo sua visita :)

    ResponderExcluir
  5. Ja tive o desejo de atingir os 18 anos de idade, com todas essas ilusões citadas por você. Acredito que todas as pessoas tem esse desejo, até descobrirem a verdadeira realidade. Hoje, quanto mais eu conheço o mundo, mais eu desejo voltar a ser criança.

    Parabéns Nina, você se supera a cada dia....bjus.

    ResponderExcluir

Tell me! =)
Os comentários serão respondidos nesta página.